Consultas de Nutrição Online

Que Nutricionista sou?

Nutribanza / Estilos de Vida  / Que Nutricionista sou?

Que Nutricionista sou?

Levei tempo a perceber que tipo de nutricionista era eu, quando vejo o Instagram de várias colegas nutricionista, os variados livros que escrevem, as idas à televisão, etc…penso em como não tem nada a ver comigo, olho e no geral vejo fotos de comida, partilha de receitas, conversa de dietas e penso “bolas! Devo andar mesmo perdida, talvez até na profissão errada…porque não me identifico nada!”.

 

Não gosto nada da área hospitalar, trabalhar num hospital todos os dias não era mesmo para mim, acreditem!! Sou daquelas que foge de qualquer hospital a 7 pés!! :S

 

Gosto da área do desporto e até era uma área que me imaginava a trabalhar…afinal de contas o meu estágio profissional no final de 2004, foi no centro de medicina desportiva! 😀 mas não me completa a 100%…

 

Gostar e completar, são coisas bem diferentes no que toca à nossa vida profissional e a vida tem destas coisas estranhas: é verdade que não me imagino hoje na área que sempre gostei (doenças do comportamento alimentar), mas descobri que não ando muito longe.

 

Hoje, finalmente descobri que a ligação está de facto na área comportamental, mas não tanto ligada às patologias do comportamento alimentar, mas sim, da forma como as pessoas vêm e vivem a comida no dia à dia, sem / antes de entrarem nos pontos extremos das doenças alimentares! 🙂 E isso explica o meu gosto por conhecer cada paciente, por cada partilha, por perceber, ou tentar perceber as ligações com a comida tanto a nível particular, como familiar!

 

O meu gosto, a minha paixão, o meu foco, não está na relação comida / balança, mas sim na comida / sentimento! 🙂

 

Podem pensar que vida de nutricionista é divertida e até engraçada, com muita cor alimentar, com muitas vitaminas e minerais aos saltos, com muita saúde a transbordar dos pratos e panelas…tem parte disso claro que tem, mas também pode ser muito pesada algumas vezes. Pesada de frustrações que sentimos dos nossos pacientes, por querermos ajudar e não conseguirmos, por vermos a resposta à frente dos nossos olhos, mas não podermos simplesmente obrigar quem precisa dela, ou por nos ligarmos à história dos nossos pacientes, cada um à sua maneira e sorrirmos com as suas vitórias, tal como nos emocionamos até com as suas frustrações, derrotas e vitórias… ser nutricionista sempre foi e sempre será para mim, uma profissão longe de ser algo como uma simples receita / plano saudável, pois sou do tipo de nutricionista que vai muito pelo lado psicológico e que acima de tudo gosta de descomplicar e simplificar a nutrição! 😉

Levei tempo a perceber que tipo de nutricionista sou, mas entre alegrias, quedas, pedras, batalhas, vitórias, subidas e descidas, descobri…Sim! Esta sou eu como nutricionista! 🙂 E hoje vi esta t-shirt e pensei mesmo “É isto mesmo!! É tão isto!! É tão Ana Banza, tão Nutribanza! :)”

 

Se ainda tiverem tempo e vontade de ler mais um pouco, deixo exemplos do que me deixa feliz na minha profissão! 😉  Partilhas “roubadas”, mas não identificadas porque os meus pacientes são só meus!! 😛 eheh

1)

“Olá Ana!

Para começar tenho de confessar que não tenho sido “perfeita”, quando tenho algum evento social com alguma comidinha especial não deixo de comer ou de beber uma bela cidra de vez em quando, quando vou à esplanada. Agora o que noto é que não tendo gramas e calorias pra contar me sinto mais responsável pela quantidade que ponho no prato, tenho mais capacidade para “julgar” aquilo que como, ou seja sinto que mesmo nestes eventos em que como coisas “menos saudáveis” consigo gerir melhor as quantidades do que como.

Apesar de tudo isso,  na verdade tem corrido muito melhor do que esperava :p até agora só perdi 2 kg (hoje pesei-me e tenho exactamente 62,2) mas noto bastante diferença na roupa. E poder sentir esta diferença e continuar a poder comer algumas coisinhas boas e diferentes ao fim-de-semana, para mim é TOP! 😀

Não sei se esperava que tivesse perdido mais, sei que se cumprisse tudo a 100% teria perdido bem mais, mas sinto que no passado foi muito esse o meu problema, querer seguir tudo à risca, estar super preocupada com todos os macros e contar cada grama e caloria, depois isso com o tempo desgastava-me de tal forma que quando fazia alguma “asneira” me descontrolava completamente, sinceramente estou a gostar mt mais deste estilo descontraído e menos rigoroso de dieta, mesmo que demore um pouco mais a atingir o resultado.”

2)

“(…) Esta mudança de plano alimentar fez-me mudar de hábitos, repensar e ser mais criativa quanto á confeção de acompanhamentos. E quem diria que tenho comido bastante alface??? Coisa que eu dizia que detestava.

Provavelmente vou pedir-lhe mais sugestões de acompanhamentos e até almoço, para variar e procurar mais inspiração para as minhas refeições. (…)”

3)

” (…)Desta vez estive mesmo de férias.. e como foi bastante tempo notei logo a diferença na balança. Mas também já voltei a casa e voltei à rotina 😉não gostei nada de ver a balança subir mas também não me arrependo de ter aproveitado as férias nem deixo esse número definir-me. Sei que aqui em casa entro no ritmo outra vez que já é tão natural e as coisas entram nos eixos outra vez !!”

4)

“(…) Como já te disse, sinto-me muito desiludida comigo e mais que isso, sinto-me frustrada. Como foi um mês com mais contratempos para mim, pesei-me com alguma regularidade e se calhar foi isso que não funcionou também 🤦🏽‍♀️ 

Cheguei aos 91,8 e depois foi sempre a aumentar, voltava a baixar, aumentava. Foi super complicado. 

Em relação ao exercício, eu continuo a fazer caminhadas, o problema é que não vou todos os dias. Tenho tido muito stress e muito cansaço, quando chego a casa só me apetece e deitar e então nem sempre tinha motivação para ir. 

Espero que esta fase passe rápido e volte ao normal. 

Quero e preciso! Desistir jamais…””

5)

“(…)Confesso que fico sempre desmotivada porque parece que não saio do mesmo… foco-me perco 3kg, vem uma festa, um descontrolo emocional, umas férias e pumba ganho tudo ou mais… sei que tenho um metabolismo péssimo porque o que como não justifica o peso que tenho, mas não deixo de me sentir culpada por perder o foco às vezes e isso ser logo repercutido na balança…. Sei que para ter resultados não posso mesmo sair da linha, nem por um bocadinho e isso às vezes é complicado e desmotivador. De qualquer forma, como sou uma eterna sonhadora, não desisto e vou voltar ao foco total. Quero agradecer-te porque apesar de ser a tua profissão “dares-me na cabeça”, não sinto que me vás julgar pelos meus deslizes e sim chamar-me à razão. Sou por natureza muito auto critica e muito exigente comigo, daí a frustração quando não perco, mas tens ajudado para que eu aprenda a viver melhor comigo e goste mais de mim e me foque no saudável e não num número da balança. Ainda tenho muito trabalho pela frente, mas obrigada!(…)”

 

E isto é só um  pequeno exemplo dos meus dias, tenho muitos mais textos que me dão muita força para continuar em frente, naqueles dias em que não parece fazer sentido não gostar assim tanto de cozinhar, por não ter o meu Instagram cheio de fotos de comida, por não me preocupar tanto e “desvalorizar” até às vezes, os valores de uma balança.., os números de um peso… mas faz sentido sim, porque tal como hoje (nem de propósito) disse a uma amiga : a perfeição não tem de ser magra, para ser perfeita! 😉

“My interests include FEELINGS 🙂 music 🙂 animals 🙂 justice 🙂 food :)”    🙂

Partilhar

Comentários:

  • Juliana Imbrovschi
    2 Outubro, 2019 at 22:58

    Tão verdade ❤ Tu és o apoio que precisava e nem sequer sabia – encontrado por um acaso mas que mudou completamente a minha vida !!

Submeta um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.